sexta-feira, 16 de abril de 2010

Seminário discute diversidade e direitos da população LGBT


Na noite desta quarta-feira (14), o I Seminário “Respeito à Diversidade” lotou o auditório da Agência Municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Renda para discutir a temática LGBT em Vitória da Conquista. Representantes de entidades do movimento LGBT da cidade e do país, movimentos sociais, da Prefeitura Municipal e da Câmara de Vereadores estiveram presentes, dando início a uma das atividades que integram a I Parada do Orgulho de Ser LGBT de Vitória da Conquista. Todas as falas destacaram a necessidade de um convívio respeitoso entre todas as pessoas e da luta contra o preconceito.





O secretário de Desenvolvimento Social, Edwaldo Alves, que também estava representando o prefeito na abertura do evento, reforçou o apoio que o Governo Municipal oferece aos movimentos sociais e, especificamente, ao público LGBT. “A prevenção e a luta contra a homofobia tiveram grandes avanços nos últimos 30 dias. Nós tivemos a inauguração do Núcleo de Combate à Homofobia - um centro que já está funcionando com técnicos preparados para prestar assistência jurídica e psicológica a todas as pessoas que tenham sido vítimas de preconceito", destacou o secretário, que completou: "esse seminário é fundamental para que todos tenham entendimento do que é a homofobia e a I Parada do Orgulho de ser LGBT, no dia 17, vai mobilizar as pessoas e fazê-las sentirem que há uma questão a ser discutida que é o direito das pessoas serem respeitadas nas suas escolhas”, afirmou.

A articulação das políticas de promoções dos direitos LGBT e combate à homofobia, ao sexismo e ao racismo foi tema da discussão liderada pelo presidente do Grupo Gay da Bahia, Marcelo Cerqueira, e pela representante da Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade/Sepromi, Geisa Cristina dos Santos.





Confira os depoimentos de alguns presentes no I Seminário “Respeito à Diversidade":





Marcelo Cerqueira, Grupo Gay da Bahia - “Acho que a I Parada do Orgulho de Ser LGBT veio no momento certo, com a inauguração do Núcleo de Combate à Homofobia, com esse seminário que acontece em dois dias, movimentando as pessoas, movimentando a cidade e os grupos. A cidade está de parabéns, a Administração Pública também está de parabéns por estar apoiando iniciativas como estas. É de gestores como os de Vitória da Conquista que a gente precisa para fortalecer cada vez mais os direitos da população LGBT”.





Gildásio Silveira, Presidente da Câmara de Vereadores - “Vitória da Conquista tem demonstrado por meio de suas políticas públicas que é uma cidade que tem buscado, acima de tudo, o reconhecimento e a valorização de sua cultura, do seu povo, nas diversas manifestações. Fico muito feliz em poder representar o Poder Legislativo desde o início dos debates e de apoiar o movimento para que ele seja cada vez fortalecido”.












Geisa Cristina dos Santos, da Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade/Superintendência de Política para Mulheres - “Estamos apoiando a I Parada do Orgulho de ser de Vitória da Conquista e temos articulado políticas públicas LGBT no Estado da Bahia, também com o propósito de que estas políticas cheguem nos municípios do interior”.









Maurício Jesus Santos, estudante - “Eu vivi em São Paulo cinco anos e lá tem um movimento fortalecido para exigir os nossos direitos e aqui eu sentia falta disso. A realização do seminário e da Parada é muito bom pra gente e para a cidade”.
















Rosilene dos Santos Santana, Coordenadora-geral da I Parada do Orgulho de Ser LGBT de Vitória da Conquista - “Esse fato é histórico, até porque vamos enfrentar muita discriminação, mas vamos enfrentar tudo e todos porque nós existimos independente de preconceito ou discriminação”.









Carmem Lúcia Oliveira, Coordenadora do grupo Matizes/Teresina-PI - “Sou do Grupo Matizes, de direitos humanos que defende o direito de gays, lésbicas, bissexuais e travestis e estou muito lisonjeada de vir aqui ministrar uma oficina sobre mercado de trabalho e fiquei muito contente em poder contribuir com essa primeira porque tem que se discutir mesmo, porque as pessoas sofrem por ser homossexuais e chegam a ser demitidas. Não vim para trazer solução, eu vim para provocar, causar discussão”.
















Fabiana da Cruz Franco, Coletivo de Lésbicas Negras Candace/BA - “É importante a terceira maior cidade da Bahia puxar este debate, porque até na capital nós enfrentamos dificuldade para debater temas como a questão do orgulho de ser LGBT e essa semana traz um cunho diferenciado, por polarizar esse debate numa dimensão bem maior, ou seja, não é só colocar um trio elétrico com pessoas nas ruas. Trazer um debate como esse, que mostra que a cidade precisa quebrar alguns preconceitos e ter um número significativo de pessoas presentes nessa atividade é um ganho político e estamos tentando fazer eventos como esse em todo Estado da Bahia porque esse é o momento de garantir nossos direitos”.





José Mário, integrante da Comissão Organizadora da I Parada - No Seminário discutiremos políticas importantes, como segurança pública, educação, união civil estável, a cultura LGBT, o segmento social como um elemento importante para o nosso município e no sábado realizaremos a I Parada do Orgulho de Ser LGBT, e afirmaremos à sociedade a existência deste segmento como um elemento social respeitoso".










Lídia Rodrigues, União de Mulheres de Vitória da Conquista - " O Seminário é fundamental. É num momento destes que você tem grupos de pessoas dentro da sociedade que querem ser tratados como pessoas iguais, como cidadãos e cidadãs e se existe essa demanda, porque não existe a igualdade? E se a gente quer construir uma sociedade justa, democrática e igualitária ela tem que ser para todos".







Sirleide Paiva, artesã conquistense - “Esse evento não é só parao grupo gay, é para a família, para todo mundo. Acho que a parada enriquece bastante o movimento e a luta no combate ao preconceito”.





Cássio Montalvão, psicólogo – “Temos que colaborar para que as pessoas se reconheçam enquanto sujeitos pensantes, como sujeitos capazes de mais do que falar de cidadania, ser a cidadania e ir construindo uma nova tendência pluricultural, fazendo com que as suas crianças e os seus filhos possam se envolver cada vez mais com essa realidade que existe. O ser humano tem direito a ser feliz, a se realizar plenamente, independente da sua orientação sexual, pele ou religião”.





Além do seminário, exibições de filmes com comentários, com temática LGBT, acontecem até o dia 21, às 19h, no Teatro Carlos Jeovah, na Rede de Atenção e Defesa da Criança e do Adolescente e no Cine PEV. A I Parada do Orgulho de Ser LGBT acontece no sábado (17), às 14h, com concentração na Rua Jorge Teixeira, bairro Candeias.








http://www.pmvc.com.br/v1/pmvc.php?pg=noticia&id=3870

5 comentários:

Érica disse...

É muito bom saber que eventos como esse estejam acontecendo em todo o país. É importante que seminários e encontros que discutam a diversidade aconteçam para que possamos engrossa essa luta e para que possamos de viver as diferenças com direitos iguais.

Dani Rodrigues disse...

Olá... Gostaria de receber mais informações sobre o coletivo, alguém poderia me mandar o contato de alguma participante?

Obrigada

ahhh meu email é rodrigues.daniele@hotmail.com

sindro disse...

Oi
Convido vocês a conhecer o meu blog de textos femininos, também sobre intolerância post "Não é para todo mundo" e parabéns pelo trabalho.

Obrigado.

Bekinha Caldas disse...

Sou estudante de Ciência Política da UFBA e estou fazendo um banco de dados com entrevistas de movimentos sociais. Se for possível gostaria de fazer uma entrevista com você, tem como?

rebecacaldast@hotmail.com

Anônimo disse...

Compartilho o blog SMM em:
http://sindromemm.blogspot.com

Obrigado!